Buscar
  • Larissa Ferraro

O PROPÓSITO DE SUA VIDA

Há mais ou menos dois anos, recebi a triste notícia de que meu primo de pouco mais de 40 anos de idade havia morrido por causa de um câncer que rapidamente corroeu seu corpo. Foi uma notícia muito triste, creio que a mais triste dos últimos tempos. Eu pude visita-lo durante o curto período que ele teve uma melhora ao longo do tratamento, mas não pude estar perto de meus familiares quando a notícia da morte chegou.


A morte é sempre uma má notícia, independente de você ser pego de surpresa ou não. Apesar de sabermos que esse é o destino de todos nós, nunca estamos preparados para sua chegada. Mas a verdade é que um dia ela vai chegar e, depois de algum tempo, nossa história não será mais lembrada por ninguém.


Isso é triste. Mas é a verdade. Quer ver? Você conhece a história dos pais de seus bisavós? Provavelmente não. Como diz o salmista: “tudo passa rapidamente, e nós voamos”. Recebemos a notícia da morte de alguém e sofremos por algum tempo, mas logo a vida segue e aquela tristeza muda. Pode não acabar totalmente, mas vai se diluindo em meio aos demais acontecimentos da vida.


A grande verdade é que não somos tão importantes quanto gostamos de acreditar. Penso que essa é a pior notícia que temos que encarar diariamente. O mundo simplesmente não gira ao nosso redor. Deus não está preocupado em satisfazer os nossos desejos e direcionar toda sua criação para que tenhamos conforto, paz, riqueza e tranquilidade.


Deus não é como o “gênio da lâmpada” que vive para realizar nossos pedidos. Nem como o “Papai Noel” que compara o que nós fizemos de errado com nossas boas obras para nos premiar ou punir no final das contas.


Deus nos criou para Sua glória e não para a nossa glória. O foco Dele é a nossa santificação e não a nossa satisfação em um mundo que gira no sentido oposto ao que Ele planejou. Por mais difícil que parece encarrar essa verdade, o entendimento dela nos ajuda a lidar de forma correta com tudo que nos acontece.


Moisés escreveu em Gênesis 1:27: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”Existe muita especulação a respeito do que significa dizer que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança. Entretanto, para as pessoas que receberam a comunicação de Moisés na época em que ele escreveu, isso era muito claro.


Quando grandes reis conquistavam terras, eles mandavam construir estátuas que deveriam ficar na terra conquistada, enquanto eles voltavam para seu local de origem. Aquelas estátuas eram a “imagem e semelhança” do rei conquistador. Elas tinham o propósito de trazer à lembrança das pessoas quem reinava naquela terra.


As estátuas eram as representações visíveis de um rei que não estava presente fisicamente no meio do povo. Da mesma forma, quando Deus criou o homem para ser sua imagem e semelhança, isso significava que homem e mulher deveriam ser os representantes visíveis do Deus que não estava presente fisicamente. A ideia era que Adão e Eva representassem a glória de Deus. Mas eles falharam.


Adão e Eva não cumpriram o propósito de serem os representantes visíveis do Deus invisível. Então, Deus escolheu o povo de Israel para cumprir esse propósito e fez uma aliança com eles. Eles deveriam ser os seus representantes. Uma nação separada, um reino de sacerdotes, como Deus disse a Moisés em Êxodo 19:5,6: “Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel." Infelizmente, Israel também falhou.


Vendo que o ser humano nunca seria capaz de refletir com perfeição a Sua imagem e semelhança, o Verbo se fez carne e habitou entre nós e vimos a Sua glória, glória como do unigênito do Pai (João 1:14). Cristo foi a perfeita imagem e semelhança de Deus (Colossenses 1:15). Ele nos comprou com Seu sangue para nos capacitar a sermos a representação visível do Deus invisível.


Cristo nos libertou da escravidão do pecado, por isso hoje temos escolha. Hoje podemos decidir ser como Cristo, porque Ele nos capacita. Além disso, Deus age em todas as coisas para que os que O amam, cresçam à imagem de Cristo. Deus está agindo para formar um povo santo, que reflita a Sua glória, como vemos em Tito 2:11-14 e 1 Pedro 2:9,10.


O apóstolo Paulo nos lembra em 2 Coríntios 5:14,15: “Um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.”


A vontade de Deus para nossa vida é que paremos de viver para nós mesmos e sejamos os representantes visíveis Dele. Deus deseja que as pessoas olhem para você e lembrem do grande Rei, que tem toda a autoridade e poder nesse mundo.

Minha pergunta agora é: o que as pessoas têm visto ao olhar para você? De quem você tem sido a “imagem e semelhança”?


Nosso modelo é Cristo. Ele não só veio para mostrar o que devemos fazer, como também pela sua morte e ressureição nos capacitou a colocar tudo isso em prática. Cristo vivia para fazer a vontade do Pai. Ele amava a Deus acima de todas as coisas e aos outros como a Ele mesmo. Ele não levou em consideração o fato de ser Deus, mas foi humilde, considerando até você superior a Ele (Filipenses 2:3-8).


Pensando em tudo isso, o que você precisa mudar em sua vida para ser a representação visível do Deus invisível? Quem você precisa considerar mais importante do que você? Pode ter certeza que é isso que falta para resolver seus conflitos de relacionamento.


Confesse a Deus como você tem vivido para sua própria glória. Peça a Ele para te ajudar a amar e servir aos outros mais do que a você mesmo. O apóstolo João escreveu: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.”(1 João 1:8,9)


A vida do cristão é uma caminhada de arrependimento diário. À medida que nos arrependemos e pedimos perdão, Deus vai moldando nosso caráter. Esse processo às vezes é doloroso, mas Cristo está de braços abertos em Seu trono de graça para nos auxiliar (Hebreus 4:15,16).

Larissa Ferraro


132 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo